domingo, 8 de maio de 2011

Dia das Mães




Até segunda ordem, o Dia das Mães tem sido de luto pra mim...



Aqui um poema que lhe fiz um dia destes...
De vez em quando verte uma lembrança!

Das flores no caramanchão

Sempre falastes e sonhastes
com elas, as flores sortidas
colorindo um caramanchão

Sempre te dedicastes
ao cultivo, florista
de alma e coração

Falavas delas, as flores
com amor e paixão

Dedicavas tua vida
a ser delas, união

Anorkinda
(a minha mãe)

.

2 comentários:

DA VIDA MULHER disse...

Falavas delas, as flores
com amor e paixão

Dedicavas tua vida
a ser delas, união

E enfim, ela é uma flor que nunca há de muchar, nem perder a cor.

Engasgo... lágrimas...

Anorkinda disse...

Bjs, minha lindinha!!!