terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Rudyard Kippling

Muy bien...voltei-me!

Estive a ler, durante minha folga na rede...MEUS ADORADOS FILHOS...de Rudyard Kippling.
Vibrei com a simplicidade deste homem grandioso!
O livro é uma coletânea das cartas que ele enviava aos filhos no início do século 20, antes da Primeira Grande Guerra...pois ele viajava muito e também o filho estava num internato...por isso a correspondência...de uma meiguice emocionante e de um humor saudável, agradável.

Aqui uma pequena biografia deste Homem!

"Joseph Rudyard Kipling nasceu em 30.12.1865, na cidade de Bombaim-Índia e faleceu no dia 18 de janeiro de 1936, em Londres, Inglaterra.
Foi jornalista, autor de dezenas de contos e novelas, além de poeta e romancista, tendo sido o 1º inglês a receber o prêmio Nobel de literatura em 1907.
Entre dezenas de obras que deixou
-Bee, bee, Ovelha Negra - História do período em que esteve em um internato na Inglaterra.
-The Jungle Book(1894)- O livro da Selva, que veio a ser talvez o seu mais famoso livro, conta a história do menino lobo Mogli e foi transformado em filme pelos estúdios Walt Disney. 1 ano depois, em 1895, Kipling escreveu a continuação do Livro da Selva. No Brasil, o livro foi traduzido em 1942 pelo escritor Monteiro Lobato.

-The Man Who Would be King ( O Homem que queria ser Rei)- Livro no qual utiliza diversos símbolos maçônicos e fala sobre dois militares ingleses que são Maçons e buscam lugares distantes para fazerem fortuna. Essa história foi transformada em filme de muito sucesso, estrelado por Sean Connery e Michael Caine, sob direção de John Huston
-
Três Soldados e Contos da Colina - Obras que lhe trouxeram notoriedade.
-Canções de Caserna - Obra que o tornou muito popular na Inglaterra.

Como poeta, Kipling teve a inspiração de compor um dos mais lindos poemas da língua inglesa, que até hoje permanece atual na mensagem que quer transmitir e sempre será para quem o lê:

Se...

Se és capaz de manter a tua calma quando
todo mundo ao redor já a perdeu e te culpa.

De crer em ti quando estão todos duvidando
e para esses no entanto achar uma desculpa.
Se és capaz de esperar sem te desesperares,
ou enganado, não mentir ao mentiroso,
Ou sendo odiado, sempre ao ódio te esquivares
e não parecer bom demais nem pretensioso.
Se és capaz de pensar sem que só a isso te atires,
de sonhar sem fazer dos sonhos teus senhores.
Se encontrando a Desgraça e o Triunfo conseguires
tratar da mesma forma a esses dois impostores.
Se és capaz de sofrer a dor de ver mudadas,
em armadilhas as verdades que disseste.
E às coisas, por que deste a vida, estraçalhadas,
e refazê-las com o bem pouco que te reste.
Se és capaz de arriscar numa única parada,
tudo quanto ganhaste em toda a tua vida.
E perder e, ao perder, sem nunca dizer nada,
resignado tornar ao ponto de partida.
De forçar coração, nervos, músculos, tudo,
a dar seja o que for que neles ainda existe,
E a persistir assim quando, exaustos, contudo,
resta a vontade em ti que ainda ordena: "Persiste!
Se és capaz de entre a plebe não te corromperes,
e, entre reis, não perder a dignidade.
E de amigos, quer bons, quer maus, te defenderes,
se a todos podes ser de alguma utilidade.
E se és capaz de dar, segundo por segundo,
ao minuto fatal todo valor e brilho.
Tua é a terra com tudo que existe no mundo,
e, o que ainda é muito mais, és um homem, meu filho!

Rudyard Kippling

Kipling está enterrado na Abadia de Westminster, na " esquina dos Poetas " "

Aqui...o escritor:

2 comentários:

HSLO disse...

hum...fiquei interessado em ler.


abraços


Hugo

Anorkinda disse...

Abraço Hugo!! leia mesmo...leia sempre ;)