segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Eu, no DIVÃ!


QUERIDO DIÁRIO/BLOG...

Nesta semana estou participando do DIVÃ,
no CANTINHO POÉTICO DOS AMIGOS.


Estou até emocionada! \o/

Vou registrar aqui toda a entrevista, não pra me exibir, mas você, como meu melhor amigo, merece saber do que tá rolando né? (Na verdade, o tal de Orkut gosta de me deletar, já tive outras entrevistas apagadas, portanto...arquivo neles!)

O Cantinho Poético dos amigos reune um monte de poeta que está compartilhando, aprendendo, interagindo poesia na rede.

E ARABELA MORAIS, minha poetamiga, tão linda quanto o próprio nome, me convidou a responder à curiosidade do pessoal... ela começou o bombardeio:


1- Na sua opinião, o que compõe um bom poema?

Não sou doutora em nada, mas como leitora e poeta, trabalhando exclusivamente com esta arte... Eu considero um bom poema aquele que tem o que dizer ou expressar e faz isto de forma clara, entendível (onde o leitor lê e imediatamente tem a sua compreensão particular do mesmo).
Um poema ÓTIMO, já é aquele que atende as circunstâncias acima com lirismo, sensibilidade!



2- Poesia adulta, infantil... qual é a sua predileção? Por quê?

Tu dizes para escrever ou ler? Se bem que... tudo começou com a poesia infantil...

Foi lendo poesia infantil pros filhos que me acendeu a vontade de escrever...e comecei a fazer versinhos pra eles, sempre fiz exercícios e caderninhos pra eles completarem e comecei eu mesma fazer meus textinhos de onde tirar exercícios pra eles. Eu sempre em voltas com caderninhos...rsrsrsrs
Por isso disse que Mario Quintana me incentivou, pois ao ler seus infantis, pensei: - Puxa, isso eu sei fazer! Lia muito Cecília Meireles também nesta época. Ah...e descobri Pedro Bandeira, Pedro Bloch, Gianni Rodari, magníficos!

Minha predileção é, sem dúvida, infantil!

A poesia adulta é um caso à parte...

Mas comecei a ler mesmo na internet a dois anos, dois anos e meio atrás. E incentivada a escrever de forma adulta com seriedade, eu já tinha algo, mas eram desabafos apenas, tristes... Hoje escrevo muito mais adultos porque tô tendo muita coisa pra dizer.


3- Há outros caminhos literários pelos quais você anda? Quais?

Respondi na primeira pergunta, exclusivamente poesia
Isso no escrever né...porque ler...leio de um tudo!!


4- Anorkinda Neide em poesia ou Poesia em Anorkinda Neide?

ANORKINDA NEIDE EM POESIA, sim! Estou me espraiando (como diz Olivio Dutra...rsrsrsrs) em versos... Estou me mostrando, me expondo, de forma poética. Tudo o que escrevo sou eu, mesmo quando penso que estou falando de algo fantasioso....ledo engano...transpareço em cada verso!

POESIA EM ANORKINDA NEIDE, também estaria certo, sob certa pretensão! Pois a POESIA como ente inteligente, como energia subjetiva e voluntariosa me escolheu como instrumento, portanto ela pode estar em mim, querendo alcançar outras pessoas e abraçar suas almas.


Agora, MÁRCIA POESIA DE SÁ, me enviou perguntinhas carinhosas! :

5- Kindinha, o que você acha que mudou à partir do inicio da Poesia sendo mais expostas na internete?

Pois é, não tenho respaldo teórico nem de experiência de vida literária pra falar sobre isso...
Mas eu fico feliz de que tenha sido ampliado o universo poético a partir da internet. Muita gente, como eu mesma, que não lia poesia (no meu caso a poesia adulta) está se apaixonando...até mesmo por ser uma leitura curta.. o povo tem preguiça de ler, sabemos muito bem disso!
E também, assim, escritores tem um outro campo de divulgação. E também temos este novo campo para aprendizagem. Enfim, é o máximo! É a novidade transformando as tradições.



6- Qual o seu escritor predileto e porque?

http://neidescadarosa.blogspot.com/2010/04/buenas.html
Leiam esta postagem no blog!

Não sei porque...é amor a primeira vista!
Aqui tenho arquivado um pouco dele:

http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=97572421&tid=5485718357759000298

Se eu fosse escrever a importância de seus poemas pra mim, escreveria a vida toda, sem parar!

Manoel de Barros

O delírio de seus versos, a 'inutilidade' de sua poesia é tão essencial quanto o cantar dos pássaros e a brisa movimentando o lago. A paixão pelas palavras e a necessidade de reinventar o mundo concreto e frio é tão especial quanto o abraço do filho e o acorde da canção.
Me põe em êxtase e a flutuar em prazer tal como a nuvem leve e solta em céu azul. Me diz as ânsias de viver num mundo que não é meu e das vontades de perder a razão e viver em intensidade feliz de quem despreocupa-se com os padrões caducos da velha energia.
O desperdício de seus versos me diz dos silêncios que gritam nas madrugadas, alertando da importância do simples e natural. A feição de tuas palavras traduz o que a alma tanto queria sentir entre as gentes desacostumadas de ouvir suas próprias vozes interiores...a plenitude de Ser!

Anorkinda


7- Gostaria que nos mostrasse um poema que foi marcante para você, digamos, que tenha te inspirado a também escrever...existe algum?

UM poema que tenha me inspirado a escrever poesia? Não há!

Por volta dos 10 anos, minha mãe me mostrou um acróstico, acredito que escrito por ela, não lembro dele em si, mas sim de que eram versinhos feitos a partir das iniciais de alguém da família ou de meu nome mesmo.
Fascinei... e enchi caderninhos (kkkk lá vem eles...) com nomes de toda a família, com nomes das amigas e dos paquerinhas.

Eu ficava, tarde da noite, com o abajur aceso, enfiada debaixo dos cobertores, portanto era inverno,
Na época eu não sabia chamarem-se assim e tampouco imaginava que os poetas de verdade, aqueles chatos que escreviam livros, fizessem também versinhos assim. Mas lembro bem da inspiração que me tomava e do prazer em encontrar as palavras que encaixavam e rimavam.

Não os oferecia a ninguém, salvo a pai, mãe, avó...rsrsrs Por fim perderam-se junto ao material escolar.

Eu não sabia que era poeta.

O que me inspirou tb nessa época ou pouco mais tarde aos 12 anos, foi curtir MPB. Meu pai tinha muitos discos de samba e meu irmão mais velho, trabalhando, encheu-nos de LPs de MPB. Passava assim minhas tardes, antes monótonas a ouvir e acompanhar as letras nos encartes. Eu sentia que aquilo era poesia! As vezes eu apenas lia as letras, sem som...era um encantamento.
Eu não sabia que eu queria ser poeta, mas eu morria de inveja daqueles compositores todos! Eu queria escrever!

Tenho lembranças vivas dos encartes dos LPs do Chico Buarque, Caetano Veloso, Gal Costa, Noel Rosa, Ataulfo Alves, Lupicinio Rodrigues, Elis Regina, Nelson Coelho de Castro, Bebeto Alves, Martinho da Vila, Gilberto Gil, Milton Nascimento...ahhh Caçador de mim! Quantas emoções! rsrsrsrsrs

Bem, foram estes meus primeiros despertares...


Meu querido amigo RUI E L TAVARES, a quem chamo respeitosamente de REI DA POESIA, me fez essa pegadinha...hihi

8. Para ANORKINDA NEIDE, quem é ANORKINDA NEIDE?

Ah...meu Rei...essa é a mais difícil das perguntas!!

Porque abrange muitas coisas! Envolve o que eu fui, o que formou minha personalidade, o que já veio pronto, o que não gosto, o que quero ser... enfim...dar uma resposta lógica para esta pergunta: QUEM SOU EU? não é possível!

Mas na minha ilusão/vida, eu sou uma mulher madura e responsável, bastante sensata e sensível. Sou avessa à razão embora eu racionalize meus tormentos, sempre! Penso demais, quero sempre entender o que se passa dentro de mim e isso gera mais tormento...rsrsrs embora me acalme! Dá pra entender? Pois eu disse que não era possível me definir! kkkkkk

Sou uma chispa da luz divina, enfrascada na carne, vivenciando o que me é possível. E assim, sou feliz!



CAMÉLIA LA BRANCA, me fez algumas perguntas maravilhosas, onde pude expor muitas questões que deixam as pessoas intrigadas comigo! :P

9 - Anorkinda, O que mais você gosta de fazer além de
de escrever?

Dormir! eu responderia sem pestanejar a pouco tempo atrás!
Mas as prioridades mudaram! A vivência de tantos sonhos me arrebatou pro lado 'acordado' da vida! hehehe

Gosto demais de caminhar! No sol, à noite, no frio, e caminhar muito! A ciência comprova, areja as ideias! hehehe É quando acerto o compasso dos pensamentos quando estão em tormento...é quando abrando as emoções quando elas querem me sair pela boca...
Aproveito pra sentir a natureza nessas caminhadas, mesmo na cidade, há natureza sabiam? as próprias pessoas são Natureza! Sempre tem passarinhos nos fios de luz... Borboletas em algum jardim florido ou não...Sempre há grama em algum quintal gradeado ou não...E sempre, sempre há elementais a cuidar de tudo! E as árvores! Tenho sentido muito as árvores !

Gosto demais de ler! Atualmente quase que exclusivamente na internet, mas ler é preciso! Nas épocas mais atarefadas da vida, sentia verdadeiramente doente se passava algum tempo sem ler! É minha necessidade! Básica!


10 - Você acha que a poesia vale a pena, mesmo que a gente nunca ganha dinheiro com ela?

SE COMPARTILHAS TEU DOM, TODOS NOS ENRIQUECEMOS!

Li isto, navegando por aí...justamente enquanto pensava em tua pergunta, Camélia.
Por isso sou extremamente rica!
Compartilho tudo tudo o que me verte...pois sei da importância da poesia para as almas leitoras...rsrsrs
Tá, confesso q tenho 0,01 do meu trabalho, inédito, mais pra fazer suspense do que qualquer outro motivo...kkkkk

Pois como eu disse antes, a poesia é um dom, uma missão...se o poeta não verter isso, ele morre, mesmo em vida.
Nenhum dinheiro paga uma coisa desta!

Quem quer escrever para ganhar dinheiro não é escritor. O escritor escreve porque precisa, o dinheiro vem como consequência de um bom trabalho.

por isso a poesia sempre vale a pena! sempre!



AMANHÃ COLOCO MAIS DEZ QUESTÕEZINHAS!

besos!

.







Um comentário:

HSLO disse...

Que maravilha saber um pouco mais de você.

abraços
de luz e paz


Hugo